Formação | A busca de Deus

Written by  //  18 de setembro de 2014  //  Espiritual e Humana  //  No comments

topic

Deus, presente e misterioso, palpita em todos os cantos do universo. Mas por que não o vemos?

“Em todos os lugares te busco
sem encontrar-te jamais,
e em todos os lugares te encontro
somente por ter te buscado.”

Estes versos de Antonio Machado refletem um coração que busca, que chama, que espera, que quer e que encontra.

Deus é um mistério que nos interpela, que nos espera, que os convida todas as horas, todos os momentos, em cada circunstância.

Ao mesmo tempo, Deus quer que nós o busquemos. Ele está em todos os lugares, mas não o vemos. Ele nos ama como filhos, mas sabe respeitar a nossa liberdade. Deseja que voltemos para casa, mas nunca nos obriga a dar-lhe um beijo. Vivemos entre os seus braços, mas o sentir-nos seguros, como filhos, sob o teto do seu céu, depende de nós, da nossa liberdade.

Deus, presente e misterioso, palpita em todos os cantos do universo. Mas por que não o vemos? Por que tantos dividam? Por que tanto sofrimento? O caminho da vida nos leva, sem querer, à resposta.

Mas não podemos esperar cruzar o limiar da morte para resolver o mistério. Em cada árvore, no canto dos pássaros, no voo das abelhas, no perfume das flores, esconde-se algo grande, belo. Uma presença boa, amiga, paterna, vem ao nosso encontro nos mil detalhes da vida.

Deus e um homem que busca. Buscar não é fácil quando não sabemos ler os sinais, quando o cansaço da vida deixa feridas profundas, quando a solidão nos machuca ao ver um amigo ou familiar amado partindo desta vida.

Buscar, no entanto, é o essencial de um coração que ama, que deseja encontrar-se com o Deus vivo, que anseia pela fé, pela esperança e por um pouco de consolo.

Eu te encontro, sim, em todos os lugares, 
mas tens de me ajudar a buscar. 
Depressa, porque a vida passa 
e as nuvens se perdem no horizonte. 
Depressa, porque o amor não suporta a ausência do amado, 
porque não posso viver sem Ti, 
porque meu coração morre um pouco 
cada vez que não sinto perto, dentro, 
teu sopro e tua força de Deus bom…

(Artigo publicado originalmente por Oleada Joven)

sources: Oleada Joven

Leave a Comment

comm comm comm